ANTÔNIO CAMPOS FOI CITADO PARA SECRETARIA NACIONAL DA CULTURA

#brasilnordeste #culturalnacional #Nordeste #Brasil
ANTÔNIO CAMPOS FOI CITADO PARA SECRETARIA NACIONAL DA CULTURA

Por: Sandro de Moura

Com a recente demissão do cineasta Roberto Alvim (secretária nacional de cultura) pelo presidente Jair Bolsonaro, o Nordeste foi lembrado nesta pauta da Nacional. O advogado e escritor, Dr. Antônio Campos (irmão do ex governador de Pernambuco Eduardo Campos), atual presidente da #FUNDAJ – Fundação Joaquim Nabuco, o seu nome foi ventilado por políticos e pessoas ligadas à cultura nacional.

No mundo inteiro autoridades de vários poderes e políticos de diversas correntes ideológicas reconhecem a importância da cultura. Acompanhe as citações:

“A cultura é a expressão da história da cultura de cada povo. (…)

Nunca vi a história de qualquer povo ser narrada em moedas”…
(Ministra Cármen Lúcia – Superior Tribunal Federal.)

 

“Cultura não são quadros pendurados na parede; é a rotina dos valores que temos na vida. Isso é parte da construção de uma sociedade”.

“O papel da cultura é incomensurável…
Não haverá uma humanidade melhor se não houver transformação cultural”.
(Pepe Mujica – ex presidente Uruguai)

Todos concordam que a cultura é uma ferramenta indispensável na construção de um povo. Assim sendo, o presidente Jair Bolsonaro continua com a missão de acertar nesta pasta indispensável ao enriquecimento do povo Brasileiro.

A ministra do STF Cármen Lúcia em audiência publica fez menção deste relevante instrumento (a cultura) para a identificação de um povo

“Nunca vi a história de qualquer povo ser narrada em moedas”…
(Ministra do STF – Carmen Lúcia).

O escritor pernambucano Dr. Antônio Campos, tem sido lembrado por setores da cultura e por políticos de diversas correntes ideológicas.

A região com maior número de estado da Federação.

http://<blockquote class=”twitter-tweet”><p lang=”pt” dir=”ltr”><a href=”https://twitter.com/hashtag/brasilnordeste?src=hash&amp;ref_src=twsrc%5Etfw”>#brasilnordeste</a><br>ANTÔNIO CAMPOS FOI CITADO PARA SECRETARIA NACIONAL DA CULTURA<br>“Ao fechar as cortinas nesta &quot;peça sem graça&quot; no teatro do Alvim, até mesmo o mais revolucionário da esquerda ou liberal irão concordar: a cultura é a essência de um povo!”<a href=”https://t.co/bCMyWj1TUN”>https://t.co/bCMyWj1TUN</a> <a href=”https://t.co/LiMhbMpjxa”>pic.twitter.com/LiMhbMpjxa</a></p>&mdash; Brasil Nordeste (@BrasilNordeste2) <a href=”https://twitter.com/BrasilNordeste2/status/1218282129215447045?ref_src=twsrc%5Etfw”>January 17, 2020</a></blockquote> <script async src=”https://platform.twitter.com/widgets.js” charset=”utf-8″></script>

A região Nordeste tem o maior número de Estados da federação, 9 dos 27 estão nesta região, sua cultura é pujante e muitos nomes da Cultura Brasileira emergiram destas bandas de cá.

O pai do Dr. Antônio é um desses importantes nomes, o escritor Maximiliano Campos.

Nossa equipe de reportagem entrou em contato com a assessoria do Dr. Antônio Campos, nos informaram que o presidente não irá se pronunciar sobre o assunto.

Antônio Campos é advogado, escritor, poeta e especialista em Direito Empresarial, Eleitoral e Público. É um dos criadores da Festa Literária Internacional de Pernambuco (Fliporto) e faz parte da Academia de Artes e Letras de Pernambuco e da Academia Pernambucana de Letras. Antônio Campos foi conselheiro Federal da OAB, detentor de títulos e distinções, autor de livros, artigos jurídicos e literários publicados em periódicos, revistas e jornais.

O presidente é quem manda…
Para o jornalista Paulo Enéas do portal Crítica Nacional, é equivocado bolsonaristas julgarem que oposição ganha com a saída do Alvim. “A demissão do cineasta Alvim foi uma decisão exclusiva do presidente da República”, disse Paulo Enéas (portal Critica Nacional).

“Essa leitura é fantasiosa e subestima a capacidade de decisão e a autoridade do Presidente Bolsonaro. Se a grande imprensa e a esquerda tivessem mesmo o poder de demitir integrantes do governo, os ministros Sérgio Moro, Paulo Guedes, Damares Alves, Ernesto Araújo e outros já estariam demitidos há tempos.

Quem demitiu o senhor Roberto Alvim foi o Presidente da República, que tomou a decisão correta, no “timing” adequado, de afastar do governo um integrante da equipe que estava desalinhado com as diretrizes governamentais” escreveu Paulo.

O fato é que, ao fechar as cortinas nesta “peça sem graça” no teatro do Alvim, até mesmo o mais revolucionário da esquerda ou liberal irão concordar: a cultura é a essência de um povo!

Boa sorte Presidente JB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *