Paraíba amplia número de escolas estaduais com vagas no ensino médio, contrata mil professores e lota salas de aula

23 municípios foram contemplados. Em janeiro o estado contratou mil professores de 13 disciplinas. A demanda passa de 140 mil matriculas no ensino médio. Os nomes das escolas também mudam!

Por André Corrêa – De Brasília

Está publicado no Diário Oficial do Estado da Paraíba, desta quinta (20), decretos que criam a oferta de vagas para alunos do ensino médio em 36 escola estaduais de ensino fundamental. A medida beneficia jovens de 23 municípios. Sete deles agora passam a ter duas escolas estaduais. O texto mantém o porte e a estrutura em 12 escolas. Ainda determinam alteração no nome. Agora passam a levar a expressão “Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio”.

Em janeiro, mil novos professores ingressaram na rede estadual de ensino para lecionar em 13 disciplinas. Essa turma vai se juntar ao batalhão de 30 mil professores espalhados em 657 escolas com alunos do ensino médio no estado. Já incluída as novas 36 escolas assinadas nos decretos. Dados do IBGE de 2018 mostram que o número de matrículas no ensino médio paraibano foi acima de 141 mil. 

Estes decretos fazem parte do conjunto de ações do Plano Estadual de Educação, lançado em 2015 pelo governo estadual. Dividido em 28 metas, o Plano prevê avanços na educação, com a elevação de 70% da taxa de matricula de jovens entre 15 e 17 anos no ensino médio até 2025. Além de ampliar a oferta, garantir a permanência e melhorar a qualidade da educação do campo.

Mais vagas, menos turmas e a mesma infraestrutura

Aumentar o número de escolas locais que oferecem vagas no ensino médio evita o transporte de alunos entre municípios e aproxima o estudante à instituição de ensino. Pequenos municípios como Araruna, Araçagi, Olivedos, Soledade, São Mamede, Juripiranga e Nova Olinda contempladas nos decretos, passam a ter duas escolas com oferta de vagas no ensino médio.

Decretar a oferta de vaga e incluir no nome da escola a expressão “médio”, sem fazer obras de ampliação nas unidades de educação contempladas, não resolve o problema da falta de vagas no ensino médio paraibano. É o que cobra o Sindicato dos trabalhadores e trabalhadoras em Educação do Estado da Paraíba – Sindep – PB. A entidade aponta falta de estrutura nas escolas. Reclama da caderneta eletrônica operada pelo Sistema Saber – novidade em 2020, que reúne todas as informações das atividades de alunos e professores. Este sistema retirou a autonomia das escolas na formação de turmas. O resultado é superlotação de salas de aula com 45 alunos, sem estrutura adequada para receber esse número de estudantes. Ao mesmo tempo, segundo a entidade, o sistema eliminou centenas de turmas na rede estadual de ensino.

Os novos professores afirmam que foram aprovados em concurso público para cumprir contrato de 30 horas semanais, porém, com a ampliação do número de escolas integrais, a oferta de vaga aos professores tem sido para carga horária de 40 horas. Quem não aceita ou não pode encarar o tempo extra, precisa procurar escolas distantes dos seus domicílios.

Serviço

As escolas estaduais de ensino fundamental que passam a ter vagas para o ensino médio atendendo aos decretos publicados no DO da Paraíba do dia 20 de fevereiro são:

Braz Baracuhy, Dr. João Navarro Filho, Boto de Menezes, Dr. João Navarro Filho, Rita de Miranda Henriques, Santos Dumont, Prof. Geraldo Lafayette Bezerra, Gonçalves Dias, Graciliano Ramos e Profª Maria Bronzeado Machado no município de João Pessoa;

Monte Santo, Paulo Freire, Poeta Carlos Drummond de Andrade, Poetisa Vicentina Figueiredo Vital do Rego, no município de Campina Grande;

Barão de Abiaí, no município de  Alhandra;

Rodrigues de Carvalho, no município de Araçagi;

Targino Pereira, no município de Araruna;

Felinto Elísio, no município de Belém;

Major José Barbosa, no município de Aroeiras;

Profª Maria José da Costa Albuquerque, no município de Olivedos;

Cônego Antônio Galdino, no município de Puxinanã;

Dr. Cunha Lima, no município de Remígio;

Padre José Antônio Maria Ibiapina, no município de Soledade;

Napoleão Abdon da Nóbrega, no município de São Mamede;

Dr. Manoel Dantas, no município de Teixeira;

Américo Maia, no município de Belém de Brejo do Cruz;

Antônio Gomes, no município de Brejo do Cruz;

Ariano Vilar Suassuna, no município de Cajazeiras;

Prof. José Bento, no município de Santa Helena;

João Fagundes de Oliveira, no município de Itabaiana;

Demétrio Toledo, no município de Juripiranga;

Isaura Fernandes de Souza, no município de Itapororoca;

Castro Pinto, no município de Jacaraú;

Frederico Lundgren, no município de Rio Tinto;

Maria Dionísia de Sousa, no município de Nova Olinda;

Jaime Meira Fontes, no município de Sousa;

Joana Ivonildes Bandeira, no município de Pombal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *