À PESTE DA CHINA E SEU EFEITO COLATERAL NA ECONOMIA.

EMPRESÁRIOS DE CAMPINA GRANDE FAZEM CARREATA POR ABERTURA DE COMÉRCIO EM MEIO A QUARENTENA CONTRA A PESTE DA CHINA

Na tarde de sexta-feira (27), um grupo de comerciantes de Campina Grande realizaram uma carreata em uma das principais avenidas da cidade (Av. Brasília) para cobrar a abertura do comércio na cidade. No vídeo que registrou o protesto, diversos carros seguem com alto falantes e buzinas para chamar atenção da população.

NO MARANHÃO EMPRESÁRIOS FAZEM APELO AO GOVERNADOR FLÁVIO DINO PARA PERMITIR FUNCIONAMENTO DO COMÉRCIO

No documento, endereçado ao governador Flávio Dino e ao secretário Simplício Araújo, os líderes empresariais apresentaram sugestões para a retomada gradativa e planejada da operação comercial das atividades econômicas na capital maranhense; à partir do próximo dia cinco de abril, com base em um Plano de Ação que seja criado pelo Governo, caso haja a estabilização de casos da peste da China no Estado. Tal iniciativa se deu segundo os empresários, devido à urgência de equacionar impactos da crise econômica local, cujos efeitos já se fazem sentir.

NO PIAUÍ DEPUTADOS APELAM A WELLINGTON E FIRMINO PARA QUE ALGUMAS ATIVIDADES VOLTEM A FUNCIONAR

Os deputados estaduais Themístocles Filho e Henrique Pires protocolaram, por email, uma moção de apelo ao governador do Piauí, Wellington Dias, e ao prefeito de Teresina, Firmino Filho, pedindo alterações “pontuais” nos decretos do estado e município que restringem o funcionamento, de alguns setores ligados a economia, durante a pandemia causada pelo coronavírus. Estão na lista: construção civil (obras), materiais de construção, autopeças, lojas de conveniência, clinicas medicas e odontológicas, oficinas mecânicas, borracharias, restaurantes, lanchonetes, escritórios de advocacia, escritórios de contabilidade, indústrias e agroindústria.

NO RIO GRANDE DO NORTE SETOR HOTELEIRO QUER AUXÍLIO DO PODER PÚBLICO PARA ENFRENTAR CRISE GERADA PELA NOVA PESTE DA CHINA

O setor de hotelaria do Rio Grande do Norte teve 90% das reservas de hospedagens canceladas para o mês de março, por causa da pandemia da ‘nova peste da China’. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do RN (ABIH-RN), houve uma queda de 75% nos voos nacionais e 95% nos internacionais, e o setor quer auxílio do poder público para não entrar em colapso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *