#PARAÍBA | Enfermeira usa cavalo para atravessar rio e vacinar três idosos contra gripe, no Sertão da PB

A enfermeira Nathana Inácio usou um cavalo para atravessar um rio que estava cheio e conseguir vacinar contra a gripe três idosos que estavam ilhados em uma comunidade da cidade de Santana de Mangueira, no Sertão paraibano.

Idosos estavam ilhados em comunidade depois que barragem transbordou e rios ficaram cheios. A enfermeira Nathana Inácio usou um cavalo para atravessar um rio que estava cheio e conseguir vacinar contra a gripe três idosos que estavam ilhados em uma comunidade da cidade de Santana de Mangueira, no Sertão paraibano. Ela já trabalha no setor de imunização do município há dois anos, mas foi a primeira vez que precisou superar o medo para ajudar ao próximo.

Nathana está desde 2018 nesta função de vacinar quem não tem acesso à imunização. Sempre surgiram desafios no meio do caminho, já que muitas vezes as localidades são de difícil acesso. Tem regiões que o trajeto só pode ser feito de moto.

É desde 2018 que ela leva a vacinação para áreas mais distantes devido ao difícil acesso e a dimensão territorial. “Embora a população seja pequena e uma cidade pequena, o território é bastante grande. A gente viaja até mais de 50 quilômetros até chegar a essas pessoas”, relata.

Santana de Mangueira fica no Vale do Piancó, no Sertão da Paraíba, onde as chuvas em 2020 foram acima da média. Com isso, a barragem transbordou e os rios ficaram todos cheios. Quem mora na comunidade Sipó ficou ilhado e sem acesso à cidade. Com isso, três idosos ficaram sem a vacina contra a gripe.

O filho de um dos idosos entrou em contato com Nathana e perguntou como ela chegaria até eles já que o rio estava cheio. “Eu achei que seria uma omissão da minha parte deixar eles sem a vacinação”, desabafa. Foi então que o homem disse que, se ela tivesse coragem, ele emprestaria um cavalo para ela atravessar o rio e vacinar os três idosos.

“Nesse momento eu preferi me arriscar e superar meu medo para levar a vacinação a esses idoso que não poderiam atravessar o rio”, revela Nathana.

Assim ela foi, em cima do cavalo, com a sua maleta contendo isopor, termômetro, luva e seringa. Atravessou o rio e vacinou os três idosos que precisavam da imunização.

FONTE G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *