Polícia Federal usará drones para reprimir irregularidades nas eleições 2020


O pleito municipal desse ano contará com veículos aéreos não tribulados (drones) utilizados pela Polícia Federal (PF) para prevenir e reprimir a prática de crimes eleitorais em todo o Brasil. Durante a cerimônia de lançamento do Plano de Ação para as Eleições 2020, que aconteceu na terça-feira (28) no Tribunal Superior Eleitoral, a PF apresentou seu projeto de uso desse recurso para monitorar eventuais irregularidades no dia da votação.

O planejamento da Operação Eleições Limpas, apresentado no evento, utilizará mais de 100 drones por todo território nacional, atuando em municípios estratégicos para fiscalizar e combater crimes como boca de urna e transporte de eleitores. Tais equipamentos estão preparados tecnologicamente para voar em altitude elevada, dificultando a percepção da atuação da PF para reprimir ações delituosas.

Diante dos flagrantes registrados, policiais se deslocarão imediatamente para o local indicado para prender os suspeitos de cometerem crime eleitoral – conduzindo estes para a delegacia onde serão tomadas as providências cabíveis. O uso das aeronaves remotamente pilotadas também será relevante diante das medidas de distanciamento para o controle da epidemia do novo coronavírus, já que o emprego dos drones diminui o contato social dos policias com os eleitores.

Desta forma, a PF visa cumprir seu mister constitucional de polícia judiciária eleitoral, garantindo um pleito seguro para que os cidadãos possam exercer o seu direito ao voto.

Cleber Araujo – jornalista/RJ
Foto: Arquivo PF
Fonte: Agência FNI e Comunicação Social da PF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *