Deputadas comemoram 13 anos da Lei Maria da Penha com premiação


Foi entregue nesta quinta-feira (10), em uma reunião virtual, a premiação do 7º Concurso sobre a Lei Maria da Penha. O evento marcou o encerramento da campanha 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres (em outros lugares do mundo, ela dura 16 dias, mas no Brasil a campanha é estendida, iniciando no Dia da Consciência Negra, 20/11).

Gustavo Sales/Câmara dos Deputados
Premiação Concurso Lei Maria da Penha e encerramento dos 21 Dias de Ativismo. Dep. Iracema Portella (PP - PI)
Iracema Portella: conscientização sobre a gravidade desse problema deve começar no ambiente escolar

A deputada Iracema Portella (PP-PI) destacou a participação dos alunos e alunas que enviaram vídeos de um minuto sobre a Lei Maria da Penha. A premiação, em parceria com o Banco Mundial, é realizada desde 2012.

Neste ano, Facebook, Instituto Avon e ONU Mulheres também participaram da escolha dos vídeos enviados por alunos do ensino médio. Iracema Portella explicou a importância dessa participação.

“O enfrentamento da violência contra a mulher passa necessariamente pela conscientização da sociedade sobre a gravidade desse problema, e isso deve começar justamente no ambiente escolar, envolvendo as crianças e os adolescentes na reflexão sobre esse tema”, apontou.

Educação não-violenta
A presidente do Instituto que leva seu nome, Maria da Penha, lamentou que ainda seja preciso discutir e ensinar que mulheres não podem ser vítimas de violência. Para ela, somente quando a educação não-violenta fizer parte dos currículos escolares  será possível reduzir a violência contra as mulheres dentro e fora de casa.

“A educação se apresenta como principal alternativa quando o objetivo é contribuir com a desconstrução de uma cultura de violência e a promoção de uma cultura de paz na defesa dos direitos humanos”.

A gerente operações do Banco Mundial, Sophie Nardeau, afirmou que o objetivo do concurso é justamente trazer a discussão sobre o respeito entre homens e mulheres para dentro das salas de aula.

Ativismo por meio da arte
A diretora executiva do Instituto Avon, Daniela Grelin, lembrou que o ativismo se faz também pela arte e foi justamente isso que os alunos demonstraram ao participar do concurso.

“Eu quero propor que sejamos ativistas não só nos 21 dias de ativismo, no período laranja, não só no Dia Internacional dos Direitos Humanos, mas em todos os 365 dias do ano. Ativistas da esperança, pelos direitos das mulheres e meninas, pela dignidade da vida de todos os seres humanos, com bom humor, com coragem, com talento e com arte também, por que não?”.

Ganhadores
Foram escolhidos cinco vídeos, um de cada região do país. Os premiados — Mary Lene Santos, Carmo Santos, Lucas Henrique Costa, Sofia Rambo e Sofia Borodiak — vão receber dois cursos: um sobre segurança na internet e outro sobre realidade virtual.

Os cursos são uma oportunidade de aprender a usar as plataformas digitais de forma responsável. Além disso, os alunos vencedores puderam escolher entre ganhar um tablet ou um celular para poderem produzir e postar novas histórias.

Reportagem – Karla Alessandra
Edição – Ana Chalub

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *