Próxima Mesa do Senado precisa ser mais democrática, afirma Lasier Martins


Em pronunciamento nesta quinta-feira (10), o senador Lasier Martins (Podemos-RS) afirmou que a próxima Mesa do Senado, a ser eleita para um mandato de dois anos, em 2 de fevereiro de 2021, precisa ser mais democrática e aberta à participação dos demais senadores, por meio do compartilhamento das decisões. A Mesa é composta por um presidente, dois vice-presidentes e quatro secretários, responsáveis pela direção dos trabalhos legislativos da Casa.

Lasier disse que, na condição de relator do PRS 26/2019, que altera o Regimento Interno do Senado Federal para criar formalmente o Colégio de Líderes, sugeriu que o presidente da Casa tenha a prerrogativa de propor metade da pauta de votações, cabendo ao colegiado a discussão e definição da outra metade.

Na opinião dele, o poder decisório fica centralizado na figura do presidente do Senado. Esse fato, continuou Lasier, não é uma exclusividade da atual Mesa, mas algo que acontece há muito tempo.

— Em suma, um Senado mais democrático, um Senado que resgate o conceito de sua importância junto à população brasileira. Estamos, nós, preocupados com as eleições. Estamos percebendo que os brasileiros também estão muito preocupados com relação a quem vai assumir a direção do Senado Federal já no ano que vem — alertou.

Lasier Martins também chamou a atenção para a necessidade de o Senado ter mais tempo para analisar as medidas provisórias editadas pelo governo. Segundo ele, pelas regras atuais, o Senado, pelo pouco tempo de que dispõe, acaba apenas ratificando aquilo que a Câmara dos Deputados decidiu.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *