Instituições de ensino de Fernando de Noronha recebem coletores de resíduos de difícil reciclagem


noronha 

Esta semana, a Administração de Fernando de Noronha, por meio das superintendências de Meio Ambiente e Educação, deu início ao programa de coleta seletiva de resíduos que são considerados difíceis de se reciclar, como: esponjas de cozinha utilizadas, materiais de escrita sem utilidade e suas embalagens (canetas, canetinhas, marca-textos, lápis, lápis de cor, borrachas, lapiseiras e apontadores) e embalagens flexíveis (sachês) de leite em pó. Foram instalados contentores seletivos devidamente sinalizados na Escola de Referência em Ensino Fundamental e Médio (EREFM) e no Centro Integrado de Educação Infantil Bem-Me-Quer (CIEI).

Os resíduos coletados serão enviados para reciclagem pelos próprios fabricantes dos produtos, no processo denominado logística reversa, e consequentemente, desviados de aterros, proporcionando um destino ambientalmente adequado, transformando-os em matéria-prima para novos produtos. Além de proporcionar o descarte correto desses resíduos, há ainda a oportunidade de arrecadar pontos por meio desta coleta, periodicamente convertidos em recursos financeiros destinados às instituições participantes (EREFM e CIEI). Os recursos serão aplicados em melhorias, beneficiando toda a comunidade escolar.

“Além do caráter educativo, o programa tem benefícios ambientais, econômicos e sociais. Por meio dele, são possíveis a destinação adequada do resíduo e seu retorno à cadeia produtiva, economizando recursos naturais. Também é viabilizada a economia de recursos públicos, já que a gestão destes resíduos é compartilhada com toda a cadeia produtiva. Finalmente, os itens coletados são convertidos em incentivos financeiros para as unidades escolares participantes”, disse a superintendente de Meio Ambiente da Ilha, Daniele Mallmann.

Para colaborar com o programa, basta depositar os resíduos limpos e secos nos coletores específicos que estão distribuídos em pontos estratégicos das instituições. No coletor de materiais escolares devem ser depositados: canetas, lápis, lápis de cor, lapiseiras, canetinhas, marcadores de texto, apontadores e borrachas de qualquer marca inservíveis. No coletor de esponjas: esponjas de uso doméstico de qualquer marca, limpas e secas. No coletor de embalagens de leite em pó: embalagens flexíveis pós-consumo de leite em pó de qualquer marca. Não são aceitas latas de leite em pó ou qualquer embalagem que não sejam os sachês.

De acordo com a Educadora ambiental, Fabiane Vilela, além de incentivar os estudantes, é muito importante ter esses pontos de coleta para esses tipos de materiais, pois dessa forma os resíduos não ficam dispersos no planeta. “Esse programa faz com que a criança cresça com a visão de que é responsável pelo descarte correto dos resíduos gerados. Ter essa responsabilidade desde a escola, gera um hábito para que os alunos tenham atitudes ambientalmente corretas”.

Além das crianças, os pais receberam um comunicado explicando toda a dinâmica do programa para entenderem como participar e colaborar com o descarte adequado desses resíduos.

Fonte: Governo PE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *