Programa de Assistência Domiciliar do Hias celebra 20 anos com foco na desospitalização de pacientes


O Programa de Assistência Domiciliar (PAD) do Hospital Infantil Albert Sabin (Hias), unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado, completa 20 anos de atividades. Além de prestar assistência a crianças e adolescentes no domicílio por meio de uma equipe multidisciplinar, a iniciativa busca reinserir os pacientes sob cuidados especiais no contexto familiar e no convívio social.

“O PAD foi criado para desospitalizar crianças que antes passavam meses e anos internados sem perspectivas de reinserção ao seu contexto social e familiar por causa da sua doença limitante”, explica a pediatra Flávia Dias, coordenadora geral do PAD. Ao longo de duas décadas, mais de mais 900 crianças e adolescentes já se beneficiaram com o serviço.

“O programa mudou a vida do meu filho e da minha família”, explica Angelinda Alves, mãe de Robert Willy Alves (11), atendido pelo PAD. Diagnosticado com paralisia cerebral, o garoto é atendido há três anos pelo projeto. “Antes passávamos meses internados, ele sempre ia para a reanimação. Era muito difícil porque eu ficava com ele durante o dia no hospital e meu esposo à noite. Por muitas vezes, meu outro filho mais velho ficou sozinho. Hoje, temos toda a assistência em casa e pouquíssimas vezes ele precisou de internamento”.

Capacitação de cuidadores realizada pelo PAD para a manutenção de procedimentos nos domicílios

De acordo com Angelinda, além do apoio e das constantes visitas domiciliares de profissionais, o projeto também deu autonomia para que ela mesma tivesse conhecimento sobre alguns procedimentos. “Isso traz muita confiança porque eu entendo tudo sobre o tratamento do meu filho e sei manipular muitas coisas também”.

O PAD

O Programa de Assistência Domiciliar é formado por uma equipe multiprofissional composta por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, assistente social e nutricionista. Além das visitas ao domicílio, o projeto também tem uma sede física para dar suporte aos cuidadores.

A pediatra Flávia Dias ressalta a importância da rede de apoio multiprofissional para que família possa, com o apoio da equipe do PAD, dar assistência às crianças de forma humanizada, confortável e segura no domicílio. “A grande importância é a reinserção social dessas crianças, que retornam para o seio familiar e podem, com o tempo, ter mais qualidade de vida. Além disso, esse retorno ao lar traz também qualidade para essa família, que volta à sua rotina de convívio”, conclui.

Os pacientes com perfil de atendimento do PAD são inscritos por médicos e enfermeiros assistentes, que solicitam a inclusão da criança no programa. A equipe do PAD é responsável por avaliar e aprovar o pedido.

Fonte: Governo CE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *