Estudo do Ipece e IBGE aponta crescente desconcentração da renda gerada no estado entre seus municípios


Com a sanção da Mensagem nº 8163/2017 pelo governador Camilo Santana, que moderniza a legislação referente ao Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), o Governo do Ceará vai potencializar oportunidades de investimentos para a região.

Com relação ao PIB per capita, São Gonçalo do Amarante saltou da 65ª posição em 2002 para a 1ª posição em 2018, por conta do Complexo do Pecém

Fortaleza continua detentora da maior fatia do Produto Interno Bruto (PIB) do Ceará, com 42,99% (R$ 28,71 bilhões) do PIB Estadual (R$ 155,90 bilhões). No entanto, nos últimos anos perdeu participação, pois em 2002 seu PIB era equivalente a 46,71% (R$ 13,40 bilhões) do total de riquezas do Estado, o que caracteriza uma positiva desconcentração da renda gerada no estado entre seus municípios.

A constatação está no trabalho Produtor Interno Bruto Municipal (Nº 04 – Dezembro/2020) – Análise dos PIB dos Municípios Cearenses 2002, 2010, 2017, 2018. O estudo foi divulgado, simultaneamente na manhã desta quarta-feira (16), pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e mostra, detalhadamente, o PIB – inclusive per capita – de cada um dos 184 municípios cearenses.

Os dez municípios com maior participação no PIB do Ceará, em 2018, foram Fortaleza, Maracanaú, Caucaia, Juazeiro do Norte, Sobral, São Gonçalo do Amarante, Eusébio, Aquiraz, Horizonte e Itapipoca. Maracanaú apresentou um aumento em sua participação no PIB estadual, passando de 5,82%, em 2002, para 6,71%, em 2018.

Os municípios de São Gonçalo do Amarante e Caucaia registraram ganhos de participação no PIB do Ceará durante o período de análise, passando de 0,26% e 2,91%, em 2002, para 2,71% e 3,26% em 2018, respectivamente. Os ganhos de participação desses municípios decorreram, em grande parte, do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), situado entre os dois municípios, que nos anos recentes vem atraindo cada vez mais novas indústrias, em especial a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), instalada em São Gonçalo do Amarante.

Analisando, ainda, os municípios com maior participação no PIB estadual foi possível constatar que Sobral e Juazeiro do Norte trocaram de posição entre os anos de 2017 e 2018. Juazeiro do Norte, em 2018, assumiu a quarta posição, com um PIB de R$ 4,82 bilhões e participação de 3,09%, enquanto Sobral passou a ocupar a quinta posição, com um PIB de R$ 4,77 bilhões e participação de 3,06%.

Per capita

De acordo com o trabalho, que tem como autores os analistas de Políticas Públicas Daniel Suliano; Alexsandre Cavalcante; Cleyber Medeiros; Nicolino Trompieri; Paulo Pontes e Witalo Paiva e os assessores Técnicos Ana Cristina Lima Maia e Rogério Soares, os dez municípios cearenses que apresentaram maior PIB per capita em 2018, foram: São Gonçalo do Amarante (R$87.086,00), Eusébio (R$46.830,00), Maracanaú (R$46.241,00), Horizonte (R$25.783,00), Fortaleza (R$25.357,00), Aquiraz (R$24.630,00), Penaforte (R$23.504,00), Sobral (R$23.105,00), Quixeré (R$19.155,00) e Pereiro (R$18.932,00).

Eles ressaltam o avanço no ranking do município de São Gonçalo do Amarante, que saltou da 65ª posição em 2002 para a 1ª posição em 2018; Penaforte que em 2002 ocupava a 128ª posição, passando para a 7ª posição em 2018 e Pereiro, que em 2002 ocupava a 99ª posição, passando para a 10ª posição em 2018. O crescimento econômico observado no município de São Gonçalo do Amarante está relacionado com o Complexo Industrial do Porto do Pecém. Já no caso de Pereiro, o Valor Adicionado Bruto (VAB) do município tem sido impulsionado pelo segmento de telecomunicações.

Fonte: Governo CE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *