Senado debate nesta quinta planos de vacinação e queimadas na Amazônia


O Senado realiza nesta quinta-feira (17) duas sessões remotas de debates: uma sobre os planos de vacinação contra a covid-19, a partir das 10h, e outra sobre o aumento do desmatamento na Amazônia, a partir das 15h. As discussões contarão com a participação de autoridades e especialistas.

A primeira sessão temática visa discutir a apresentação do plano de vacinação do governo federal e dos governos estaduais contra a covid-19. Para esse debate foram convidados o general Eduardo Pazuello, ministro da Saúde; Francieli Fantinato, coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde; Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde; e Marco Krieger, vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Também foram convidados Carlos Eduardo de Oliveira Lula, presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass); Cristiane Martins Pantaleão, vice-presidente do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems); Alessandra Bastos Soares, integrante da diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); e Antonio Fernando Barreto Miranda, médico infectologista.

O requerimento para a realização dessa sessão foi assinado pelos senadores Esperidião Amin (PP-SC), Nelsinho Trad (PSD-MS), Marcelo Castro (MDB-PI) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE), com apoio de outros parlamentares.

Queimadas na Amazônia

A segunda sessão temática de quinta-feira, que se inicia às 15h, visa discutir o aumento das queimadas e do desmatamento na Amazônia. Foram convidados para o debate Hamilton Mourão, vice-presidente da República e presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal; pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa); representantes do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam); representantes da Universidade Federal do Amazonas (Ufam); e representantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O autor do requerimento para esse debate foi o Luis Carlos Heinze (PP-RS). A solicitação também foi assinada pelos senadores Telmário Mota (Pros-RR), Zequinha Marinho (PSC-PA), Diego Tavares (PP-PB), Esperidião Amin (PP-SC), Alvaro Dias (Podemos-PR), Ciro Nogueira (PP-PI) e pela senadora Mailza Gomes (PP-AC).

Em seu requerimento, Luis Carlos Heinze afirma que é necessário realizar um debate “embasado em dados técnicos e econômicos, e não de forma extremista”, que seja capaz de demonstrar o quanto os produtores brasileiros preservam a Amazônia, além “da verdade sobre as queimadas e o desenvolvimento agrícola na região”.

O senador diz que são os países mais ricos e maiores poluidores do planeta que estão definindo a área de preservação no Brasil. Citando dados do Global Carbon Atlas, ele afirma que a Europa e os Estados Unidos emitem 25 vezes mais carbono que o Brasil.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *