Girão presta contas de sua atuação nos dois anos de mandato


Em pronunciamento nesta quinta-feira (17), o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) fez uma prestação de contas de seu mandato em 2020. Segundo ele, foram apresentados 27 projetos de lei (PL) e duas propostas de emenda à Constituição (PEC). Além disso, Girão relatou 18 proposições nas sete comissões de que é integrante.

O senador destacou a aprovação do PL 2.424/2020, do qual foi o autor. A proposta, aprovada nas duas casas do Congresso Nacional e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, se transformou na Lei 14.045, de 2020, que garantiu a abertura de linha de crédito para profissionais liberais custearem as suas despesas e, com isso, minimizarem os efeitos econômicos da pandemia.

O senador lamentou, no entanto, que o Senado não tenha analisado neste ano o PL 1.797/2020, também de sua autoria, que duplica a pena de quem praticar crimes contra a administração pública durante estado de calamidade. 

Em relação ao fim de privilégios, Girão acredita que as regalias são um equívoco em um país com tanta miséria, como o Brasil. Nesse sentido, ele lembrou que desde que assumiu o mandato abriu mão de carro com motorista, da aposentadoria especial, do apartamento funcional e do plano de saúde vitalício. O senador acrescentou que também reduziu a equipe de apoio. No total, a economia foi de quase R$ 3 milhões durante dois anos, calculou, afirmando que essa postura não passa de uma obrigação para quem acredita na boa política.

— O ranking dos políticos me colocou em primeiro do estado do Ceará. Fiquei muito honrado, porque a gente recebe muitos prêmios. É normal receber prêmios e a gente recebe com carinho. Mas esse, do ranking dos políticos, eu faço questão de divulgar, porque tem critérios bem definidos. Nós fomos o décimo-segundo do Congresso. Ou seja, dos 513 deputados e 81 senadores, nós fomos o décimo-segundo do Brasil e o segundo melhor senador do Brasil, também. Então, eu agradeço o ranking dos políticos. É a coerência das votações por um Brasil mais justo, mais enxuto, com liberdade econômica e enxugamento do mandato que a gente procurou fazer.

Girão informou que destinou o dinheiro de emendas parlamentares para quase cem municípios e firmou uma parceria com o Ministério Público para fiscalizar e acompanhar o uso desses recursos.

O senador relembrou ainda a sua luta pela família e contrária ao projeto de lei que viabiliza a comercialização de medicamentos a base da maconha e ao PLS 186/2014, que legaliza os jogos de azar. Girão também voltou a defender a instalação da CPI para apurar irregularidades no Poder Judiciário e o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *