Hospital Estadual Leonardo Da Vinci realiza mais de 1.200 cirurgias eletivas em cerca de dois meses


Após oito anos convivendo com a dificuldade de respirar por conta de um desvio de septo, Lorrane Castro, 15, teve o problema resolvido. Natural de Pacajus, município da Região Metropolitana de Fortaleza, a adolescente foi submetida a uma cirurgia de septoplastia e turbinectomia no nariz. O procedimento aconteceu no Hospital Estadual Leonardo Da Vinci (HELV), unidade da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), do Governo do Estado.

“Tive que esperar oito anos, pois era muito criança e os médicos falaram que meu corpo ainda estava em formação, o que me impedia de fazer logo a cirurgia”, relatou. Lorrane falou com emoção sobre a expectativa de uma nova vida após ter sido operada. “Eu vivia muito cansada, até na escola eu sofria muito sem poder respirar direito. Não conseguia ter atividades como os outros colegas. Agora eu posso respirar bem. É uma vida nova e eu vou aproveitar bastante”, contou a adolescente emocionada.

Desde que passou a realizar cirurgias eletivas, no dia 13 de outubro, o HELV fez mais de 1.200 procedimentos nas áreas de Ortopedia, Otorrinolaringologia, Urologia e Cirurgia Geral. Mesmo durante a pandemia, o serviço tem colaborado para a redução da espera por procedimentos cirúrgicos nos hospitais da estadual.

O coordenador do Centro Cirúrgico do HELV, Jefferson Oliveira, destaca as medidas de prevenção ao coronavírus para reforçar a segurança do paciente. “Montamos um esquema para garantir que o paciente tenha que comparecer o mínimo possível ao hospital. Isso diminui o risco de contaminação pela Covid-19 e nós conseguimos indicar a cirurgia de forma segura e rápida”,explicou.

Sofrendo de dores e incômodos, Marcos Antônio de Souza, 66, precisou passar por uma cirurgia na próstata. O procedimento foi realizado com sucesso no HELV e o paciente natural de Quixadá, a cerca de 170 quilômetros de Fortaelza, fez questão de agradecer à equipe responsável pela operação. “Fui muito bem tratado, sem contar que o hospital realmente tem uma excelente estrutura. É um serviço muito importante para toda a população do Ceará”, disse.

A coordenadora do serviço de Otorrinolaringologia do HELV, Débora Lima, afirma que as cirurgias relacionadas ao setor estão entre as mais recorrentes na unidade. “São feitos, em média, doze procedimentos por dia só de ouvido, nariz e garganta e a maior parte das cirurgias de amigdalite e adenoide é realizada em crianças”, afirmou a médica, ressaltando a estrutura do atendimento.

“Só no serviço de otorrino infantil, contamos com 18 leitos e um suporte com pediatra disponível 24 horas, pronto para atender qualquer intercorrência clínica das crianças, além do otorrino, também 24 horas, de domingo a domingo”, complementou.

Atendimento

O HELV atende pessoas encaminhadas pela Central de Regulação. Após o agendamento e realização da consulta, os pacientes fazem todos os exames necessários ao pré-operatório, incluindo o teste para Covid-19. Caso o resultado seja negativo, a cirurgia já é prontamente marcada. Se o exame for positivo, o paciente é orientado a ficar em isolamento em casa por 14 dias até estar recuperado e apto para realizar o procedimento cirúrgico.

Atualmente, o Hospital Estadual Leonardo da Vinci conta com 93 leitos cirúrgicos, sendo 84 de clínica cirúrgica e 9 de UTIs. 139 médicos, entre otorrinolaringologistas, urologistas e cirurgiões gerais, atuam na unidade. O HELV possui, também, 100 leitos exclusivos para atendimento a casos de Covid-19, sendo 34 de Enfermaria e 66 de UTI. A depender da demanda, o hospital tem capacidade para ativar até 195 leitos.

Fonte: Governo CE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *