Reeducandos produzem cerca de 5 mil produtos de limpeza em penitenciária


Reeducandos da Penitenciária Professor José Ribamar Leite, antiga Casa de Custódia, em Teresina, produzem diariamente produtos de limpeza para a unidade penal. Esta é uma das atividades ofertadas no sistema prisional que garante a reinserção social dos detentos. Cerca de 5 mil produtos já foram produzidos.

Segundo o gerente da penitenciária, Ednaldo Santana, a atividade tem contribuído para a ressocialização dos reeducandos. “São cerca de 10 internos engajados nessa produção e, com isso, já produzimos cerca de 5 mil produtos de limpeza. Estes produtos têm nos ajudado para a manutenção da unidade penal. Além disso, é uma ação que tem contribuído bastante para a ressocialização dos internos e para que eles busquem novos olhares quando saírem da penitenciária”, completou.

Roberto Sousa é um dos reeducandos que trabalham na produção do material. Para ele, a atividade é uma forma de profissionalização. “Tem sido muito importante para a gente, porque é uma chance que estão dando para sairmos daqui de mente limpa, cabeça erguida e nunca mais cometer o erro. É uma oportunidade para aprendermos um novo ofício, que podemos utilizar quando estivermos fora da prisão”, afirmou.

Além da fabricação de sabões e detergentes, os internos também trabalham na manutenção, limpeza e pintura da unidade, fabricam pães, cultivam horta orgânica, entre outras atividades.

O Secretário de Justiça, Carlos Edilson, ressalta que o compromisso principal da atual gestão é promover a reinserção social através do trabalho e da educação. “Acreditamos que promovendo atividades relacionadas ao trabalho e a educação, podemos mudar realidades”, disse.

Além da ressocialização, o trabalho no sistema penal garante ao detento a remição de pena. Conforme a Lei de Execução Penal, a cada três dias trabalhados, é remido um dia na pena do interno.

Fonte: Governo PI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *