Corpo de Bombeiros divulga dicas de prevenção na utilização de fogos de artifício


Com a chegada das festividades de fim de ano, o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE), por meio do Comando de Engenharia de Prevenção de Incêndio (Cepi), divulgou nesta quarta-feira (30), diversas dicas de segurança na utilização de fogos de artifício. Com os eventos de virada de ano suspensos por conta da pandemia da Covid-19, o Governo do Ceará publicou um decreto especial para as férias de fim de ano, período quando dezenas de famílias poderão optar por fazer suas próprias queimas de fogos de artifícios em casa. Com isso, os cuidados com a segurança devem ser redobrados.

Costumeiramente os fogos são disparados por pessoas inabilitadas, o que aumenta a possibilidade de acidentes. Mesmo o material menos potente pode ser suficiente para causar queimaduras e machucar quem está portando o artefato ou as pessoas ao redor. Nesse período festivo também aumentam os casos de acidentes envolvendo a utilização desse tipo de material, quando observamos diversos fatores que contribuem para o incremento dessa triste estatística.

Acidentes como queimaduras, incêndios e pânico provocados pelos estampidos são comuns nessa época do ano entre as pessoas que utilizam fogos de artifício. Diante dos problemas citados, o Corpo de Bombeiros vem esclarecendo as pessoas sobre o uso dos diversos tipos e modelos de fogos, bem como sugerimos algumas dicas de segurança.

Para melhor aproveitar as festas de fim de ano, recomenda-se substituir a brincadeira de fogos por outras. Mas se a pessoa insiste em usá-los, existem alguns cuidados básicos a serem tomados. Separamos algumas dicas para o uso deste material. Confira:

Dicas de Segurança:

1 – Somente adquira fogos de artifícios em locais devidamente autorizados pelo Corpo de Bombeiros, pois estão liberados para comercialização dos respectivos produtos e sempre confira o certificado de garantia;

2 – Leia atentamente o rótulo de segurança e data de validade dos artefatos no momento da compra e durante sua utilização;

3 – Mantenha caixas de fósforos e/ou isqueiros em locais fora do alcance das crianças;

4 – Nunca solte fogos em ambientes fechados, e quando o fizer em ambientes abertos, atente para sua segurança e a dos outros. Obedeça rigorosamente as instruções da embalagem;

5 – Ingestão de bebida alcoólica e fogos não combinam;

6 – Para a queima de rojões utilize um suporte adequado e o mantenha fora do alinhamento do seu corpo, bem como sua projeção inclinada para uma área segura;

7 – Cuidado com o efeito retardado. Os fogos podem falhar temporariamente; se isso ocorrer considere o artefato ativo;

8 – Não acenda bombas na mão, utilize uma base segura e o acenda com segurança;

9 – Não coloque o artefato em bolsos;

10 – Evite soltar fogos próximos a rede de energia elétrica, a hospitais e a locais de concentração de público;

11 – Em caso de queimaduras, procure aliviar a dor imergindo a parte afetada em água potável e se necessário procure imediatamente auxílio médico. Caso precise, entre em contato no 193. A ligação é gratuita.

Nos animais, os principais problemas causados em decorrência do barulho de fogos de artifício são reações comportamentais como estresse e ansiedade. Há casos que se resolvem apenas com o uso de sedativos ou podem culminar em danos físicos e até morte.

Alerta!

Os fogos montados em grupos conhecidos como baterias com disparos repetidos e simultâneos caracterizam shows pirotécnicos e só devem ser realizados por profissionais habilitados, conhecidos como “Blasters”, pois são técnicos na área e com formação para atuar com esses materiais. As casas de fogos credenciadas pelo CBMCE têm técnicos habilitados para realizar e orientar o uso desse material específico. Outro fator importante a destacar é quanto à origem dos fogos. Materiais de origem duvidosa, vendidos em semáforos constituem um risco, por não haver controle desde a fabricação, transporte e guarda desses artefatos, podendo causar acidentes.

Estatuto da Criança e do Adolescente

O Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei Nº. 8.069, de 13 de julho de 1990, proíbe a venda a criança ou adolescente de fogos de estampido e de artifício, exceto aqueles que, pelo seu reduzido potencial, sejam incapazes de provocar qualquer dano físico em caso de utilização indevida.

Como agir em casos de acidentes

Em caso de queimaduras causadas por fogos de artifício que apresentem apenas vermelhidão, a orientação é fazer uma compressa de água fria no local afetado para esfriar a região e, em seguida, cobrir com um pano limpo. Já em casos de lesões mais graves, que apresentem bolhas, inchaço, secreção ou lesões causadas por explosão próxima ao rosto ou que tenham provocado “esmagamento” da mão, a orientação é procurar socorro médico o mais rápido possível. Em todos os casos é preciso deixar de lado as “receitas caseiras” como passar pomadas, manteiga, pó de café ou creme dental, pois estes produtos só aumentam as chances de infecção no local afetado.

Fonte: Governo CE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *