Leão do Parque de Dois Irmãos completa 21 anos


 leo

Léo se esbaldou num picolé especial e brincou com seu presente que também escondia alguns dos seus alimentos preferidos

Léo, como é carinhosamente chamado o leão do Parque Estadual de Dois Irmãos, completou, nesta quarta-feira (30), 21 anos de idade e ganhou uma comemoração especial. Para marcar a chegada da nova primavera do rei, os técnicos do equipamento administrado pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco realizaram enriquecimentos sensorial e alimentar que estimulam o bem-estar do animal. Léo se esbaldou num grande picolé de sangue com pedacinhos de carne e brincou com seu presente, que também escondia alguns dos seus alimentos preferidos.

“Não poderíamos deixar de comemorar essa data. Todos temos um grande carinho por Léo e ele chegou aos 21 anos, que é uma idade muito avançada para indivíduos da sua espécie. Apesar de ter sido diagnosticado recentemente com câncer, vem recebendo todos os cuidados e está bem. O mais importante é Léo estar bem. Por isso, também resolvemos fazer essa ação”, disse a bióloga do Parque, Fernanda Justino, que há cinco anos acompanha o felino. Segundo dados da Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil – AZAB, os leões vivem, em média, até 12 anos em vida livre, e 20 anos sob cuidados humanos.

Fernanda conta ainda que o queridinho de Léo é o picolé de sangue, que alivia o calor do verão e estimula os seus sentidos com cheiro e sabor. Por sua vez, o presente – que também continha alimentos – foi feito com uma série de cuidados. “Léo adora picolé. Ele sempre interage rapidamente quando ofertamos. Dessa vez, deixamos o picolé no local preferido dele no recinto. Já o presente é uma brincadeira. Escondemos alimentos para despertar nele o desejo de procurar. Mas, nesse presente, usamos materiais especiais com o qual ele pode interagir, morder, brincar, sem que cause qualquer mal para ele”, detalha a bióloga.

Cuidados – No início do mês, Léo foi diagnosticado com um tipo de câncer comum em felinos idosos, além de apresentar um comprometimento nas suas funções hepáticas. As doenças estão ligadas à idade avançada do animal. Por isso, a equipe técnica do Parque de Dois Irmãos realiza um tratamento especial para conter a doença e principalmente garantir o seu bem-estar do leão. O diagnóstico e os recursos terapêuticos em uso foram definidos por uma junta de 17 especialistas, ligados à Universidade Federal Rural de Pernambuco, Universidade Federal da Paraíba, instituições privadas e ao próprio Parque.

Atualmente, Léo passa por avaliações diárias de veterinários e biólogos, sendo tudo registrado em prontuário. Também vem recebendo medicações para melhorar o funcionamento do fígado, conter o crescimento do câncer e se manter sem dor ou desconforto. Segundo Márcio Silva, veterinário e gerente técnico científico de fauna do Parque, a equipe está trabalhando de forma incansável junto a Léo, com o apoio dos parceiros e seguindo orientações da AZAB, para uma gestão eficiente de acordo com altos padrões éticos e de bem-estar animal.

Fonte: Governo PE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *