Missão Covid: plataforma disponibiliza atendimento médico gratuito para tratamento de pacientes com sintomas da Covid-19


A pandemia da Covid-19 colocou em evidência as fragilidades do sistema público de saúde pelo déficit de leitos, aparelhos técnicos, insumos e até recursos humanos para cui todos os infectados pelo novo coronavírus. São problemas que estão mais expostos agora, que na realidade afligem a classe popular há décadas. Independente de partido ou ideologia política prevalecente, essa é uma mazela crônica em todas as regiões do Brasil.

Os males trazidos pela epidemia são múltiplos. Inclusive infectou as redes sociais com mais polêmicas e acusações, como um novo ponto de discórdia a partir do aparelhamento político de um vírus.

Para além da discórdia, muitas iniciativas solidárias que acolheram famílias em situação vulnerável foram colocadas em prática por artistas, empresários e populares. Vale lembrar que as ações voluntárias nas periferias tiveram início com os próprios moradores que doavam o pouco que tinham para ajudar os seus vizinhos. A solidariedade de quem mais poderia colaborar não tardou e faz toda a diferença para manter os mais vulneráveis aquecidos e alimentados numa pandemia sem precedentes.

A fim de ampliar essa rede de solidariedade, o Brasil Nordeste apresenta a plataforma Missão Covid (www.missaocovid.com.br), que disponibiliza atendimento gratuito para pessoas que estejam com sintomas da doença causada pelo novo coronavírus. O atendimento acontece através da telemedicina (videoconferência) que conecta os pacientes com um grupo de médicos que presta trabalho voluntário junto à plataforma.

A divulgação promovida pelos fundadores da plataforma visa, não somente aumentar a quantidade de atendimentos, mas também mobilizar outros médicos para integrarem a Missão Covid. Divulgue você também essa iniciativa para que mais pessoas recebam o devido cuidado através dessa ação que está salvando vidas!

Cleber Araujo – jornalista/RJ
Imagens: divulgação Missão Covid
Editor chefe: Sandro de Moura
Fonte: Agência FNI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *