Pefoce completa 13 anos de fundação com destaque para a tecnologia e ampliação de núcleos no Estado


A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) completa, neste mês de janeiro, 13 anos de fundação. O órgão de Polícia Científica cearense, que ganhou autonomia administrativa e financeira em 7 de janeiro de 2008, independência concedida por meio do Decreto Estadual nº 29.304, celebra inúmeras conquistas e avanços. Modernização dos laboratórios e ampliação dos núcleos no Interior do Estado estão entre os principais progressos da Pefoce.

Atualmente, existem oito núcleos de Perícia Forense em atividade no Estado para atender os 184 municípios do Ceará. O último a ser inaugurado, no ano de 2018, fica localizado na Região do Vale do Jaguaribe, na cidade de Russas. Outros dois núcleos para as regiões Litoral Oeste e Inhamuns Norte estão em fase final de construção. As novas sedes da Pefoce no Interior funcionarão nas cidades de Itapipoca e Crateús.

Evolução

O perito geral da Pefoce, Ricardo Macêdo, que completa neste ano 40 anos de perícia, acompanhou de perto toda a evolução da atividade da perícia oficial e como a Pefoce se tornou referência internacional, fazendo parte da Academia Ibero-americana de Criminalística e Estudos Forenses (AICEF).

“O primeiro passo foi o reconhecimento do Governo da necessidade da prova material marchar com independência administrativa e financeira. Com essa independência, o Governo não mediu esforços para investir na polícia científica e iniciou-se a modernização das nossas instalações”, conta. Ainda de acordo com o perito geral, a Pefoce recebeu importantes investimentos para aquisição de equipamentos de ponta, alguns trazidos de fora do país, e está ampliando seus Núcleos de Perícia para atender melhor às demandas do Interior.

Ricardo Macêdo ressalta ainda que a atividade técnico-científica desempenhada pelos servidores da Pefoce é de grande valor sobretudo para a sociedade, por se tratar de uma ferramenta de promoção da Justiça. “O papel da perícia não é condenar e nem absolver ninguém, é mostrar a verdade do que ocorreu em um local de crime, trazendo à luz a Justiça para que o julgamento possa ser realizado dentro do mais alto nível da prova técnica-científica”,

Tecnologia

Nos segmentos de tecnologia e desempenho, a Pefoce é destaque nacional. O Núcleo de Balística Forense (Nubaf), por exemplo, possui microcomparadores balísticos e câmara recuperadora de projéteis de tecnologia importada da Suíça. Os equipamentos são os mais modernos do mercado e possibilitam uma perícia balística com mais qualidade e menor tempo de análise.

Já na Coordenadoria de Análises Laboratoriais Forenses (Calf) da Pefoce, nos últimos dois anos, foram investidos R$ 5,3 milhões pelo Governo do Estado para a modernização dos laboratórios. Parte desse montante foi aplicado no Núcleo de Química Forense (NUQFO). Com o investimento, a Calf adquiriu Microscópio Eletrônico de Varredura (MEV), Raman Portátil, Espectrômetro de Fluorescência de raio-x, Espectrofotômetro de UV-Visível, Cromatógrafo Gasoso acoplado ao Espectrômetro de Massas (CG/EM) e Ponto de Fulgor Automático. Com equipamentos de alta tecnologia e performance, a Pefoce passou a realizar procedimentos mais complexos em análises químicas. O NUQFO teve o laboratório bastante demandado no início da pandemia ocasionada pelo coronavírus, para análise de álcool em gel com suspeita de adulteração.

São inúmeros os avanços que a Pefoce vem contabilizando ao longo desses 13 anos de fundação, modernização de equipamentos, capacitação dos servidores, ampliação dos núcleos e o compromisso das equipes em colaborar para um Ceará mais seguro e justo.

Destaque

A Núcleo de Perícias em DNA Forense da Pefoce se destaca na coleta de vestígios de DNA de locais de crime. Na modalidade, o Ceará fica em primeiro lugar no ranking entre os estados do Norte e Nordeste, conforme dados do Relatório da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos (RIBPG). Em números totais, o Ceará conta com 3.399 perfis genéticos cadastrados no Banco Estadual e ocupa o 9º lugar no ranking nacional.

A atividade dos peritos do DNA Forense da Pefoce recebeu um reforço para agilizar a produtividade e otimizar o tempo dos exames, a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) enviou para a Pefoce o  equipamento Starlet, uma plataforma automatizada que faz o processamento de até 84 amostras simultaneamente. Antes, uma amostra de material genético levava cerca de três dias para ser processada. Com o novo equipamento, esse tempo foi reduzido para aproximadamente quatro horas.

São inúmeros os avanços que a Pefoce vem contabilizando ao longo desses 13 anos de fundação, modernização de equipamentos, capacitação dos servidores, ampliação dos núcleos e o compromisso das equipes em colaborar para um Ceará mais seguro e justo.

Fonte: Governo CE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *