Mais Nutrição doou mais de 655 toneladas para 15.939 vulneráveis em Fortaleza e RMF em 2020


Em 2020, o Mais Nutrição realizou a doação de mais de 655 toneladas de alimentos e atendeu a 91 entidades socioassistenciais em Fortaleza, Caucaia e Maracanaú. O balanço do programa que integra o Mais Infância Ceará, idealizado pela primeira-dama do Estado, Onélia Santana, corresponde a 15.939 crianças e adolescentes em situação de insegurança alimentar e nutricional atendidas pelo Governo do Ceará. Desde o início, em 2019, o Mais Nutrição atendeu cerca de 27 mil pessoas.

“Estamos trabalhando para que, em abril, iniciem as atividades da Fábrica Mais Nutrição no Cariri. A partir da doação dos alimentos que receberemos dos permissionários e empresários da região, queremos contribuir para a segurança alimentar de crianças atendidas por 37 entidades de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha”, antecipa Onélia. A construção da fábrica, aquisição de alimentos e contratação de pessoal ultrapassa a marca de R$ 1 milhão em investimentos.

“Sabemos das necessidades da sociedade civil, em especial no momento de enfrentamento da pandemia da Covid-19, e estamos ampliando e efetivando o trabalho dessa política pública para o Cariri”, comemora o secretário de Desenvolvimento Agrário, De Assis Diniz. O quantitativo de alimentos inclui a entrega de 594.706 kg em alimentos in natura, 2.930 kg de mix de desidratados. 2.362 kg de polpas de frutas, dentre outros.

O Mais Nutrição tem como objetivo o combate ao desperdício de alimentos, aproveitando frutas e legumes em boas condições de consumo, mas que não apresentam condições para serem comercializados, doados por permissionários da Ceasa-CE e empresas privadas. As doações são feitas “in natura” ou através de sopa desidratada e polpas de fruta, produzidas na fábrica do programa no entreposto da Ceasa em Maracanaú.

Fábrica em Maracanaú

Débora Melo, nutricionista do Mais Nutrição, explica como a sopa é feita a partir do mix de desidratados. “Primeiro, selecionamos os legumes aptos para consumo; depois é feita a higienização no cloro com produtos específicos para eliminar os microorganismos e depois vai para o descasque. Em seguida, o alimento passa pelo processo de cubetação e é levado para as telas das estufas, onde ficará desidratando pelo tempo específico do tipo do alimento, alguns 5 e outros até 10 horas,” diz ela.

A nutricionista explica ainda que para a fabricação das polpas, as frutas passam por um processo parecido. “Começa pela seleção e higienização. Depois, as frutas vão para a despolpadeira, depois são envasadas para congelamento e armazenamento para serem doadas”, destaca a nutricionista.

Segurança alimentar

Irmã Cristina, presidente da Associação Madre Verônica, situada em Fortaleza, comemora a inclusão da organização da entidade da sociedade civil no programa vinculado ao gabinete da Primeira Dama. “Foi uma benção de Deus. Agora temos alimento saudável para os lanches das crianças e dos nossos voluntários, que faz a diferença no nosso cardápio. As crianças comem com prazer as frutas e apreciam demais os sucos,” esclarece a religiosa.

Irmã Cristina explica ainda que o Mais Nutrição deu à associação o que faltava. “Muita coisa mudou, pois agora as crianças podem se alimentar de frutas e verduras. As que não gostavam, talvez por falta do hábito, estão aprendendo a comer. Agradecemos ao Governo do Estado, através da primeira-dama, e à Ceasa-CE por essa iniciativa e por proporcionar aos nossos pequenos condições para crescerem saudáveis”, destaca.

O Mais Nutrição é executado pelas secretarias de Desenvolvimento Agrário (SDA), Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos (SPS), pela Central de Abastecimento do Ceará (Ceasa-CE) e pelo Instituto Agropólos do Ceará (IACe). Além disso, com as parcerias permanentes da Associação dos Permissionários da Ceasa e do Grupo M. Dias Branco, além dos parceiros espontâneos da iniciativa privada.

Fonte: Governo CE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *