Governo entrega 700 mil cestas básicas a indígenas de todo o país

Ao todo, a Funai já destinou cerca de R$ 47,5 milhões para ações preventivas à Covid-19

A Fundação Nacional do Índio (Funai) alcançou a marca de 700 mil cestas básicas entregues a indígenas de diferentes regiões do país durante a crise sanitária de Covid-19, o que representa cerca de 15 mil toneladas de alimentos distribuídos. A medida garante a segurança alimentar de milhares de famílias e contribui para que os indígenas permaneçam nas aldeias, sendo fundamental para evitar a disseminação do coronavírus.

As cestas foram obtidas com recursos próprios, doações e adquiridas com recursos do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e do Ministério da Cidadania. Em diversas entregas, a Funai contou com o apoio de parceiros como o Exército e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Além dos alimentos, a fundação distribuiu mais de 221 mil kits de higiene e limpeza a diferentes populações, a fim de reforçar a adoção de medidas preventivas.

Ao todo, a fundação já destinou cerca de R$ 47,5 milhões para ações preventivas à Covid-19, com destaque para o suporte a cerca de 300 barreiras sanitárias, a fim de impedir o ingresso de não indígenas nas aldeias. Ainda no mês de março de 2020, a fundação já havia suspendido as autorizações para ingresso em Terras Indígenas, com exceção dos serviços essenciais.

O órgão investiu também R$ 17,2 milhões em cerca de 500 ações de fiscalização em Terras Indígenas (TIs) de todo o país. As atividades são importantes para coibir ilícitos e garantir a segurança das comunidades, prevenindo o contágio dessas populações pela Covid-19. Os valores foram destinados ao fortalecimento de ações de combate a crimes ambientais em TIs, como garimpo e extração ilegal de madeira.

A Funai investiu ainda cerca de R$ 18 milhões no suporte a atividades produtivas nas aldeias, que buscam proporcionar a autossuficiência alimentar e econômica das comunidades. Os recursos foram destinados a atividades de piscicultura, roças de subsistência, colheita de lavouras, confecção de máscaras de tecido e artesanato, produção agrícola, casas de farinha, casas de mel, entre outros. A intenção é fazer com que os indígenas mantenham a produção, além colaborar para que, no período pós-crise, as etnias invistam em processos de geração de renda e fortaleçam a cultura.

Os indígenas contam ainda com uma Central de Atendimento específica para solicitações relacionadas ao combate à Covid-19, a fim de que as demandas cheguem mais rápido aos órgãos competentes. As informações podem ser encaminhadas para os telefones (61) 99622-7067 e (61) 99862-3573, por meio de mensagem de texto e aplicativo WhatsApp, ou ainda pelo e-mail covid@funai.gov.br.

Fonte: gov.br
Foto: Funai

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *