Varíola dos macacos: Bahia e Pernambuco têm primeiros registros; casos no Brasil sobem 185% em uma semana


Os estados da Bahia e de Pernambuco detectaram nesta semana os primeiros diagnósticos de varíola dos macacos. De acordo com a última atualização do Ministério da Saúde, com número coletados até a segunda-feira, já são 228 casos no Brasil, que tem registros também em São Paulo; Rio de Janeiro; Minas Gerais; Paraná; Rio Grande do Sul; Ceará; Rio Grande do Norte; Goiás e Distrito Federal.

O primeiro caso na Bahia foi confirmado nesta quarta-feira pela Secretaria de Saúde do estado, na capital Salvador, e está isolado. Ontem, a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco também informou a primeira identificação de uma pessoa contaminada. O paciente é um homem, de 25 anos, morador de Guarulhos, em São Paulo, que está no estado desde o último dia 23.

De acordo com o último informe da Sala de Situação criada pelo Ministério da Saúde para monitorar as infecções pelo vírus monkeypox no país, há ainda 116 suspeitas sendo analisadas. A doença tem notificação obrigatória desde que o surto mundial teve início, em maio.

O primeiro caso no Brasil foi identificado no dia 9 de junho, na capital paulista. Pouco menos de um mês depois, no dia 4 de julho, foram relatados um total de 80 diagnósticos no país. Em uma semana, esse número mais que dobrou, chegando a 228 no dia 11 – um aumento de 185%.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), já são 9.200 pessoas contaminadas em 63 países. Apesar do avanço da doença, o comitê responsável da OMS decidiu por não declarar ainda emergência de saúde pública de alcance internacional, status atribuído à Covid-19, em reunião realizada no último dia 23. No entanto, frente aos casos crescentes, o grupo fará um novo encontro no próximo dia 18 e pode reavaliar a decisão.

O crescimento de pessoas infectadas no Brasil acontece após estados já registrarem casos de transmissão local da varíola dos macacos, ou seja, em pacientes que contraíram a doença no país. Isso porque os contaminados não retornaram do exterior e nem tiveram contato com alguém que veio de outro local.

Fonte: clickpb.com.br
Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *