Artes rupestres são achadas junto de pegadas de dinossauros, em Sousa

A arte rupestre, esses achados foram descritos em um artigo publicado no fim do mês passado na revista Scientific Reports.


Pesquisadores brasileiros descobriram inscrições em rochas em um sítio arqueológico no município de Sousa, na Paraíba. O mais surpreendente é que ao lado dessas gravações, chamadas de petróglifos, estavam pegadas de dinossauros – mostrando que a relação entre as pessoas e registros fósseis é muito mais antiga do que se pensava.

Os achados foram descritos em um artigo publicado no fim do mês passado na revista Scientific Reports. Os petróglifos estavam no sítio “Serrote do Letreiro”, nome dado devido à quantidade expressiva dessas artes rupestres, feitas entre 3 mil e 9 mil anos atrás. Dentre as inscrições, notam-se desenhos circulares com divisões em seu interior e imitações das pegadas de dinossauros.

“O curioso é que a maior concentração de inscrições ocorre associada às pegadas, como se os povos antigos tivessem reconhecido a presença daquelas estruturas curiosas. E intencionalmente não desenharam sobre elas, mas no seu entorno”, explica em seu perfil no X (antigo Twitter) Aline Ghilardi, coordenadora do Laboratório de Paleontologia do Departamento de Geologia (Dinolab) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Registros similares foram encontrados não só no município de Sousa e arredores, mas também em partes do Rio Grande do Norte e do Ceará, segundo Ghilardi.

A presença em conjunto das pegadas e petróglifos sugere ainda que as marcas — ou as criaturas que as deixaram para trás — eram parte de rituais ou cerimônias do povo que ocupou toda essa região, de acordo com o site Phys.org.

O reconhecimento e observação desses registros fósseis por esses humanos fica evidente pelo local em que decidiram inscrever nas rochas. “Desde tempos remotos as pessoas interagem com os fósseis e, à sua maneira, encontram significados e explicações para eles”, relata Ghilardi.

Fonte: ClickPB
Foto: Reprodução/X (@alinemghilardi)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *